Inovação - 07/01/2020 | Por:

Ford apresenta robô de entregas na CES 2020


A Ford foi uma das responsáveis por transformar a CES, maior feira de tecnologia do mundo, aberta no dia 7 de janeiro, em Las Vegas, em uma vitrine de inovações da área automotiva. Um de seus destaques na edição 2020 é um robô para entrega de encomendas.

No estande da Ford na CES, os visitantes podem conhecer os primeiros robôs Digit produzidos pela Agility Robotics – um autômato com braços e pernas capaz de interagir com seres humanos –, que começaram a ser produzidos comercialmente e têm a Ford como primeira cliente.

O robô foi desenvolvido para aplicação em logística, como solução para a etapa inicial e final das entregas, complementando a operação dos veículos autônomos. A parceria entre a Agility e a Ford inclui a pesquisa de como os veículos comerciais da Ford e o Digit podem “conversar” entre si e com o ambiente por meio de tecnologias avançadas de conectividade. Por exemplo, os veículos conectados da Ford podem atualizar continuamente os mapas baseados na nuvem compartilhados com o Digit, para que não seja necessário recriar o mesmo tipo de informação. Por meio desse canal de comunicação, o robô poderá ser orientado sobre como e onde o cliente prefere a entrega de suas encomendas e também pedir ajuda se algo inesperado for encontrado.

“À medida que o varejo on-line continua crescendo, acreditamos que os robôs ajudarão nossos clientes comerciais a construir negócios mais fortes, tornando as entregas mais eficientes e acessíveis para todos”, diz Ken Washington, vice-presidente de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford e diretor de tecnologia. "Aprendemos muito este ano trabalhando com a Agility, agora podemos acelerar nosso trabalho exploratório com robôs Digit comerciais.”

Desde a exibição do primeiro protótipo em maio, a Agility Robotics testou extensivamente o Digit, refinou seu design e adicionou recursos, preparando-o para a produção e venda. As melhorias incluem pés mais avançados, que permitem ao robô se equilibrar em um pé ou contornar cuidadosamente os obstáculos, novos sensores de navegação e um hardware de computação embarcado mais potente.